segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Tudo se perde, nada se transforma


"O Carnaval é um período de festas regidas pelo ano lunar no Cristianismo da Idade Média. O período do Carnaval era marcado pelo "adeus à carne" ou "carne vale" dando origem ao termo "Carnaval". Durante o período do Carnaval havia uma grande concentração de festejos populares. Cada cidade brincava a seu modo, de acordo com seus costumes. O Carnaval moderno, feito de desfiles e fantasias, é produto da sociedade vitoriana do séc. XIX.

Em Portugal, existe uma grande tradição carnavalesca, nomeadamente os Carnavais da Ilha da Madeira (donde saíram os imigrantes que haveriam de levar a tradição do Carnaval para o Brasil), Ovar, Podence, Loulé, Sesimbra, Rio Maior, Torres Vedras e Sines.
Destaca-se o de Torres Vedras, conhecido por "Carnaval de Torres", por possuir o Carnaval mais antigo e dito o mais português, o qual se mantém popular e fiel à tradição, rejeitando o samba e outros estrangeirismos. Juntamente com o Carnaval de Canas de Senhorim com perto de 400 anos e tradições únicas como os Pizões, as Paneladas, Queima do Entrudo, Despique, entre outras.
Nos Açores, mais propriamente na ilha Terceira, reside uma das formas mais peculiares do Carnaval em Portugal, as Danças e Bailinhos de Carnaval. Esta tradição, tida como a maior manifestação de teatro popular em Portugal, remonta ao tempo dos primeiros povoadores e reflecte um estilo teatral bem ao jeito dos autos vicentinos." (in Wikipédia)

4 comentários:

spritof disse...

Nada se perde. Ganha-se a euforia, a alegria ou uma grandessíssima dor de cabeça. Eventualmente, algum mau cheiro a ovos podres.
Bem... perdem-se momentaneamente alguns preconceitos e vergonhas.

Tudo se transforma. O lixo é reciclado, os materiais são reaproveitadois para festas posteriores, as passagens dos desfiles carnavalescos voltam a ser ruas de passagem pedestre ou rodoviária, as pessoas voltam à sua vida normal, a euforia transforma-se em passividade, indiferença ou saudade.
E pode-se dizer que nalguns casos nada se transforma, apenas se revela.


É uma festa como outra qualquer, mas socialmente mais abrangente.

Gostei da informação histórica resumida.
Grazie bella.

najla disse...

Opiniões....:)

acutilante - frank verlag disse...

Dizem na minha região: como é Carnaval, ninguém leva a mal. Pois.

gabyshiffer disse...

Olá,
Bem nada se perde, tudo se transforma...
O carnaval se perpetua mesmo que modificado
Boa tarde pra vc
Bom carnaval ou bom descanso
Bjos