terça-feira, 10 de novembro de 2009

O significado da vida

Ao lembrar-me do dia de ontem, consigo recordar demasiados dias num dia só. Entre um rodopio de tarefas laborais para fazer, para despachar, para desenrascar, soltam-se algumas gargalhadas entre os colegas, como se fosse o auge do dia, cada gargalhada solta, cada sorriso dado, cada ideia partilhada.

Ao chegar a casa, entre cumprimentos obrigatórios na rua, esperava-me o mais difícil de qualquer função enquanto amiga, enquanto pessoa. Ele, um amigo de longa data, esperava-me no sofá da sala, frente à lareira acesa. Entre soluços e um choro descontrolado, perguntava-me vezes sem conta qual o significado da vida e se valeria a pena continuar a viver. Conhecendo tanto da vida dele, apresentei-lhe todas as coisas boas porque devemos viver, porque devemos lutar. E achando tão injusta esta minha posição entre o desmotivar para a morte e o encorajar para a vida, contei-lhe a história desta menina, que me assolou o pensamento nos dias contidos neste só dia.

E ele, por momentos, parou de chorar, para me ouvir. Afinal, a vida não era justa para ninguém. Mas cabia a nós, enquanto adultos, enquanto seres humanos, lutar e reunir energias para que seres tão frágeis e tão delicados como esta menina, não sofram pelos nossos erros. Que seria do mundo, se há primeira vicissitude de cada um de nós, tentássemos terminar com a vida? O que é no fundo desmoralizador, é que só damos significado à nossa vida quando nos defrontamos com alguém pior.

Enxutas as lágrimas e depois de muito tempo de conversa, lá se recompôs e à saída de casa diz-me num meio sorriso "amanhã voltarei para te ajeitar o jardim".

5 comentários:

NI disse...

É a capacidade de relativizar as coisas. Mas, por vezes, é um exercício complicado quando estamos sós e não temos alguém que nos ajude a "ver".

Beijo

Vício disse...

e se a vicissitude desaparece e se torna uma rotina?
complicado... posso garantir-te!

najla disse...

NI, sim. Era o que me dizia vezes sem conta. Que não tinha ninguém. Apenas restava eu para o dissuadir...isto é muito complicado. Demasiado...

Vício, estou a começar a perceber que sim...

Brunno Soares disse...

é assim: (re)encontrando os sentidos pra vida que caminhamos arduamente. Humanos falhos, humanos dispostos a ajudar... uma mistura saborosa da vida, sobretudo, quando is dramas são superados.

bjos

Paulo Lontro disse...

quando a vida perde o significado...