sexta-feira, 5 de junho de 2009

Talvez se eu...


... fingisse o que não sou!
... lambesse botas!
... fosse falsa!
... tecesse elogios fúteis!
... fosse hipócrita!
... fosse delico-doce!
... me risse mais!
... não fosse tão frontal!
... fosse menos insuportável!
... fosse mais tolerável!
... entrasse em jogos!

... não estaria neste momento, no escritório sozinha, estando o pessoal todo reunido a festejar! Será que a honestidade compensa? Será que o ser frontal, directa e sem papas na língua compensa? Será que se eu entrar no diz-que-disse mesquinho, em elogios maliciosos, em derretimentos pelos chefes, não ganharei mais? Hum....???? Desde quando é que a verdade no e pelo trabalho compensa? Desde quando não jogar o mesmo jogo que a maioria do pessoal, dá prémio? Digam-me, por favor, que eu....eu não sei!

18 comentários:

PAULO LONTRO disse...

Sabes sabes, por isso não estás lá a festejar com os outros!

TM disse...

Pois... infelizmente parece que não nos leva a lado nenhum....

Walter Fane disse...

A vida é injusta e a meritocracia acabada.
The game by the game!

Bjooooooooooooooos

Lança disse...

Mas (ainda bem que) não és! :P

(se fosses, eras mais rica e trabalhavas menos! mas... :)

M disse...

Najla, sermos fiéis a nós mesmos exige coragem. E a recompensa, ainda que tardia, é melhor do que qualquer festa...

spritof disse...

algum tacto... alguma sensibilidade nas relações, no esquivar de jogos políticos... ajuda!

Mas nunca acreditei que a falsidade, a desonestidade, a mesquinhice, o lamber-botas.... valesse de alguma coisa.
Mais tarde ou mais cedo...
...não entres nesse jogo.

Nagareboshi disse...

se for por gente que não vale nada...não vale a pena!

decerto que tens gente que valha a pena na tua vida com quem festejar as coisas boas, e essas pessoas sim valem a pena.

najla disse...

Obrigada a todos pelos comentários. Há dias que apesar das tormentas, tempestades e até dos dilúvios, parece que nada nos afunda. E outros dias há, em que basta as primeiras chuvas e vamos ao fundo! Acontece...

Beijos

Ana Oliveira disse...

Najla

Apesar de tudo compensa a sensação de que não nos vendemos e à noite não temos pesadelos com os fantasmas das palavras que calámos!

Um beijo

Ana

Chefe disse...

Se fosses assim despedia-te ;)E não podias entrar no conjunto de musica cubana ;)

najla disse...

Chefe, despedir até que eu aceitava! Agora não me impeça de entrar no conjunto de música cubana!!!!! Pleaseeeeeee

pensamentosametro disse...

Deixa lá não estás sózinha eu também não alinho nesses jogos da treta por isso também fico sózinha de quando em vez e por isso tenho anónimos, ahahahah. É também por isso que me deito e durmo que nem uma pricessa recém-nascida.



Bjo



Tita

Nikky disse...

Não serias tu... E tu não podes perder-te numa coisa que não és...

najla disse...

Eu sei, Nikky. Mas sabes que há dias assim. Começas a questionar a tua própria essência, os teus valores e principios...

Nikky disse...

Não Najla! Tens que questionar é a essência dos outros, não a tua! até porque é bem fácil de ver como é meio oca... é por isso que se rodeiam uns dos outros: para não parecerem tão vazios por comparação, já que todos o são...

najla disse...

Eu sei que tens razão. Mas acho que essa gente mesmo oca e vazia, deve ser feliz! Ou então, contentam-se com a pequenez!

Nikky disse...

Os ignorantes são felizes...

najla disse...

;)