sexta-feira, 12 de junho de 2009

Espelho,


emprestas-me, hoje, o meu corpo, como se ele fosse livre? Como se ele fosse verdadeiramente meu? Como se ele a ninguém pertencesse?
Emprestas-me, espelho, a minha feição sem medo, tranquila e liberta?
Só por hoje, espelho, emprestas-me a alma em ti reflectida?
Só hoje, cedes-me a minha própria vontade, que muitas vezes em ti fica retida?
Emprestas-me, espelho, meu olhar de menina que só em ti se revela?
Só por hoje, espelho, cedes-me o espírito guerreiro, que tantas vezes acalmas em teu reflexo?
Só por hoje, só hoje...

8 comentários:

Desejos Aliciantes disse...

Lindo e intenso o poema...
adorei
Te desejo um bom findi
beijos aliciantes

Desejos Aliciantes disse...

Lindo e intenso o poema...
adorei
Te desejo um bom findi
beijos aliciantes

spritof disse...

vá lá...
...transporta-te do espelho para o lado de cá... respira fundo e absorve o que o espelho te transmite, te reflete, porque o que vês no espelho não é mais do que tua própria existência, não é mais do que és, e do que lhe dás...

Já está dentro de ti... e não precisas pedir de empréstimo a ninguém nem a nada...

:)

vício disse...

já pensaste em arranjar uns suportes nos ombros e sair à rua com o espelho à tua frente?

najla disse...

Vicio, eh pá, não sei porquê mas julgo que não ia dar muito resultado!

Pearl disse...

Adorei a foto do template...


Quanto ás tuas palavras senti-lhes imenso significado!


beijos

Espelho meu disse...

Pronto pronto, eu deixo que faças isso tudo! eheheh :D

Gostei imenso do texto miga! Reflecte bem aquilo que tantas vezes sentimos quando ficamos presos numa imagem e não a conseguimos trazer para fora...

Beijo*

(desculpa a ausência...o meu caldo de viroses ainda continua...)

najla disse...

Catia, bem vinda...esperemos que melhores bem depressa, que já vamos tento saudades.....

bjos