terça-feira, 30 de junho de 2009

Futuro


Desamarrem-me os braços do apego e do abraço,
Tirem-me a mordaça das palavras que direi,
Alarguem-me a peia do caminho do destino,
Tirem-me a venda da vida que levarei.

6 comentários:

entremares disse...

O que farias HOJE... se soubesses que AMANHÃ seria o teu último dia?

Fiquei com esta pergunta a bailar-me à frente, depois de ler o teu post...

E sinceramente, foi só uma pergunta, porque a resposta... também não a sei.

Beijos.
Boa semana...

najla disse...

Nunca pensei nisso. Às vezes, em determinadas formações, somos obrigados a fazer exercicios desse género, e eu nunca fui capaz de responder a este desafio. Não me julgo imortal, mas não consigo, por enquanto, encarar a morte, o último dia. E para mim, a tal máxima fatalista "vive hoje como se fosse o teu último dia", é das coisas mais bizarras que me podem dizer...

Beijos e boa semana para ti também.

"EFE" disse...

lindo demais o poema. adorei........

najla disse...

Obrigada EFE. Volta sempre.

vício disse...

fui ao dicionário ver o significado de "peia" para não haver mal entendidos...

najla disse...

E está bem empregue???? eheheheh