segunda-feira, 21 de junho de 2010

Gentes...

Foto: Najla
Gentes oriundas das serras, onde muitas vezes se acredita que foram esquecidas por Deus, juntam-se, uma vez mais, num ritual sagrado. Gentes que lavram as terras, que respiram pó, que trazem na pele queimada os dias soalheiros passados debaixo de um sol grosseiro e nada complacente. E ali se juntam, num convívio sem igual, onde a simplicidade de um povo faz desaparecer toda a angustia das madrugadas sem dormir, das lavouras, das cearas, das mondas, do gado, das intempéries ou das secas. Bebe-se um copo à saúde de quem está e em memória de quem já nos deixou. Canta-se à alentejana e o canto espalha-se pelas serras e montes, num espaço onde apesar de esquecido, é lembrado todos os anos por esta altura. Venha de lá um copo de tinto que as gargantas secas pedem guarida. Venha de lá o pão e os enchidos, a sardinha e a entremeada que isto é gente de fartura e de mantimento. Gentes humildes, em trajes simples que gritam, cantam, entoam por terras outrora de reis, hoje de ninguém.

4 comentários:

Vício disse...

agora que falas nisso... sinto-me desguarido!

najla disse...

A esta hora, Vicio? Se trabalhasses ao pé de mim, era só sair daqui e entrar na porta acima....tás a ver a vantagem??? ;)

Nina disse...

Ainda se encontram destas gentes...na minha terra::)
bji

Valéria Gomes disse...

Admiro a simplicidade dessa gente, que tanto sofre, mas nunca nos nega um sorriso.

Beijocas!!!