terça-feira, 22 de setembro de 2009

Criança em nós


A noite, ainda uma criança, criança como a minha, que a meu lado seguia irrequieta, brincando com o que aparecia. Criança de sonhos lindos, de céus azuis e noites estreladas. Digo-lhe: "olha a lua!", e ela, parando a sua brincadeira, levantou os olhos para o céu e contemplou a lua no seu quarto crescente. "Mãe, quelo volar!", e olhou-me nos olhos, como se a minha responsabilidade enquanto mãe, fosse mais além, fosse de a fazer voar. "Não podes, filha. Só os pássaros e os aviões voam.". E ela, na sua pequenez de menina, com os seus pequenos mas grandes olhos, tornou a olhar a lua e levantando o braço, acenou dizendo em tom de aceitação "adeus lua".
Retomámos o caminho para casa, e retomou a brincadeira. Mais à frente voltou-se para mim e perguntou, "polque as pédas gandes são pesadas?". E eu sorri-lhe. Baixei-me e fiz com que se sentasse a meu colo. Expliquei-lhe como consegui e pensei para comigo, o treino que teria de ter daqui para a frente, para responder-lhe a todos os porquês. Os porquês que também eu fizera, os porquês que viveram comigo na ânsia de saber a sua resposta.
A vida de flores, de princesas e bonecas, de doces e balões, estavam, finalmente, a ter significado, começavam a ter interesse, começavam, agora, verdadeiramente, a pertencer-lhe.
E talvez um dia, ela possa explicar-me porque afinal sempre conseguiu voar, para além dos pássaros e dos aviões, como no seu sonho de menina, como na sua vontade de criança.

9 comentários:

vício disse...

espero que vivas no rés do chão...

najla disse...

Pois...a pensar nisso mudei-me! eheheheh

entremares disse...

Crianças...
Tenho a certeza que se essa ( a tua ) esticasse os dedos... tocaria a lua. Não sei como, mas elas têm um jeito especial de conseguir o impossível, e depois ficaria a olhar para ti, sorrindo.
E diria simplesmente:
- Vês? ... É fácil...

E pronto... lá terias que pensar em algo para dizer...

Beijos.
Rolando

Chris disse...

A criança interior emerge dessa descoberta.
Um abraço e parabéns pelo seu espaço
Chris

najla disse...

Rolando, eu julgo que esse dia chegará...sem que eu me aperceba, ela conseguirá tomar a lua! Estou certa disso...

najla disse...

Chris, sem dúvida que me sinto mais criança hoje que uns anos atrás...ou talvez tenha hoje, mais consciência disso. Mas o facto de reviver essa velha infância, é uma das melhores coisas da vida.
Obrigada, Chris, e seja bem vinda.

PAULO LONTRO disse...

Eu sei que sabes porque eu adorei este post.
:)

Ana Oliveira disse...

Aproveita essa idade dos porquês inocentes...porque sempre que lhe reponderes estás a renovar a tua capacidade de encontrar respostas para ti.

Beijos

Ana

najla disse...

Paulo, não fossemos nós, dois grandes babados....


Ana, esta idade é deliciosa. É um regresso ao passado. Tão bom!

Beijos