quinta-feira, 29 de abril de 2010

Foto:Najla

Perguntaram-me há uns dias, o que eu faria caso soubesse o dia exacto em que iria morrer. Como iria viver até lá, o que iria fazer ou deixar de fazer, as pessoas que procuraria ou talvez não, o que tentaria remediar ou mudar.
Nunca perdi muito tempo a pensar no dia antes do fim, como se a vida se tratasse apenas duma equação efémera. Mas confrontada com a questão, das poucas certezas que tenho na vida, este dia não o quereria saber. Porque não vejo a incógnita, o desconhecido, o não saber, como algo mau, ruim ou de pura ignorância. Porque teria eu de mudar algo se soubesse o dia, se sou consciente de todas as minhas acções, reacções, atitudes e comportamentos?
Daria eu mais amor a uns do que outros? Mais ou menos atenção? Tentaria remediar situações que até agora não fui capaz? Pois, não sei. O passado jamais poderei mudar. Apenas posso mudar o meu presente, que concerteza irá influenciar o futuro. Mas isso não o tenho de fazer pensando no terminus, na morte, no fim. Isso poderei fazer hoje e para o amanhã. Não quero cair no erro de tentar viver quando a vida está prestes a acabar. Não. Quero viver plenamente. Nem que seja só por hoje. E como filha desta terra que sou, apenas posso dizer que prefiro "caminhar com bom tempo, numa terra bonita, sem pressa, e ter por fim da caminhada um objectivo agradável: eis, de todas as maneiras de viver, a que mais me agrada." (Rousseau)

6 comentários:

Vício disse...

bem... já pensaste sobre o caso! quando estiveres pronta avisa...

najla disse...

Para te ser sincera no caso mesmo não pensei...mas pensei no que poderia pensar para evitar pensar, capice? lolol

Valéria Gomes disse...

Penso que o amanhã não existe, o passado já se foi e a única coisa que me resta é o presente, que pretendo viver intensamente. Cada dia, trará suas próprias preocupações.

Beijos!!!

Vício disse...

deixaste-me a pensar...

Paula disse...

Viver como se fosse o ultimo dia... como eu mesma digo e faço... CHEIA DE PAIXÃO!!!

najla disse...

Valéria, tens toda a razão!

Vicio, tu a pensar? Ok...se tu o dizes. :D

Paula, sem dúvida!