segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Não se pode ter tudo! Mas que mal faz o cagulo?



Hoje, dia de rescaldo eleitoral, tirei 2 conclusões: ganhei a nível pessoal mas perdi a nível profissional.
Não sei bem se não preferiria o inverso.
Se perdesse a nível pessoal, andaria uns dias com o estigma da perda e o amargo da boca. Mas passaria.
Assim, terei de andar com o sentimento de uma mudança fracassada. Mas passará...daqui a 4 anos!

14 comentários:

Chocolate disse...

Olá!

Acho que foi melhor assim!!

O pessoal estimadinho acima de tudo, porque o profissional não compensa!

Acredita que eu provei o veneno!

K,

Nikky disse...

Querias a chefe fora, não? Eu torci em sentido contrário. Se a minha perdesse enfiava-se no meu trabalho a tempo inteiro!

najla disse...

Chocolate...sim, talvez tenhas razão!

Nikky, eu não disse isso! Achas? Uma pessoa adoravel como ela? Naaaaaa....


eheheheheh

Paulo Lontro disse...

Será possível fazer depender o desenvolvimento pessoal de uma pessoa de resultados eleitorais?

Será que não há algo de estranho nisso?

Huummm..., estou apenas a pensar alto...

najla disse...

É possivel Paulo. Infelizmente assim o é! E é muito estranho. Demasiado...Chamar de ditadura é pouco!.....estou apenas a pensar alto....

entremares disse...

Deixas-me pensar alto?
Só por hoje?

No rescaldo, também eu cheguei a uma conclusão. Perdi.
Não pelos partidos que tenham ganho ou perdido ( apesar de não ser indiferente ) mas porque de repente tudo parece mais inutil, mais redundante, como se o sistema se alimentasse dele próprio.

Não resisto a dar-te um exemplo que considero uma verdadeira "pérola".

Numa certa associação sem fins lucrativos, mas mesmo assim muito lucrativa ( eu disse isto? ) o grupo de pessoas que elege a direcção ( e que não são todos ) alterou os estatutos de modo a que só possa ir para a direcção... quem já lá tenha estado, pelo menos um mandato.

Ora... depois de sorrires... que me dizes?
Aplicando isto numa escala maior, como a que temos... Perdi, pois... perdi.

Beijos
Rolando

Paulo Lontro disse...

Isto é mais sério do que parece.
E talvez seja melhor não pensar, apenas alto, mas falar do assunto.
Não estamos a falar de lugares que mudam a política mas de lugares que podem fazer mudar a vida de pessoas.
Não é mesmo aceitável que alguém tenha de sentir que o seu desenvolvimento pessoal possa ser alterado “apenas” porque a política muda.
A ciência da governação de território e comunidade não tem, ou não deveria ter, esse propósito.

najla disse...

Rolando e Paulo, claro que é sério o que se passa!
Muito sério mesmo. E claro que não se deveria falar apenas alto, mas ter alguma atitude. Mas o pior de tudo é que essa atitude não se pode ter. E isso, sim, é grave.
O facto de existirem entidades patronais e locais de trabalho onde os seus trabalhadores vivem aterrorizados e trabalham sobre uma pressão psicologica medonha, vai contra tudo aquilo que se apregoa sobre liberdade e democracia. O facto de "atras de mim virão 200" está a dar oportunidade a muita "boa gente" que se dizem defensores do povo e dos oprimidos, serem autenticos carrascos e de massacrarem psicologicamente os seus funcionários.
Se há medo? Há!
Se há perseguições? Há!
Se há tratamentos diferentes? Há!
Se há cobardes que se escondem atrás de um partido ou de um cargo de chefia? Há! Muitos! Demasiados!

Mas como sempre, temos de nos calar. De ficar sossegados no nosso canto à espera que o dia de amanhã seja melhor e vamos para casa de rastos. E porquê? Temos uma familia, uma casa, contas por pagar, responsabilidades...

Isto é o Portugal democratico, meus queridos!

Vício disse...

deves estar mesmo a falar de politica!
os que vieram falar à televisão mesmo tendo perdido assumiram uma vitória...

spritof disse...

concordo... é uma treta... mas sofre mais quem lida de perto, ou directamente, com essas situações (o que, felizmente, não é o meu caso pessoal)...

...mas a verdade é que acabamos todos por pagar essa factura... e ela alastras-se cada vez mais... e um dia bate-nos à porta e...

Agir é preciso... mas como?

najla disse...

Vicio, não estou só a falar de politica! Estou também a falar das maiores perdas de todas: da liberdade, do respeito, da honestidade, da honra, do direito....

Spritof, exacto. Como?

Tatiana disse...

Dias melhores virão...
O tempo passa... os sentimentos de hoje também...
Um beijo carinhoso e com saudades!

NI disse...

najla, sabes que te compreendo pela minha própria experiência pessoal e que conheces.

Só há algo que nunca nos podem tirar minha querida: aquilo que somos e o que valemos, mesmo que o não queiram. Mesmo que façam tudo para nos "esconder".

E não tem a ver com essa nobre actividade que é a politica. Tem a ver com as pessoas que estão na política. Pessoas que pertencem à sociedade que cada um de nós ajuda a criar.

najla disse...

Ni, exacto. Não é a ciência politica nem a politica em si que não presta ou está podre. São as pessoas com as suas benditas acções de fazem da politica aquilo que nós hoje assistimos em todos os lados!