terça-feira, 12 de maio de 2009


Já havia algum tempo que não te via. Nem saudades!
Confesso que às vezes me assombras os pensamentos, mas nunca pela melhor razão.
Na minha cabeça ainda ecoam as ameaças, na minha memória ainda permanecem as tuas últimas palavras.
Isso permaneceu.
Lavei o corpo, sacudi a alma e sigo em frente. Caí muitas vezes e levantei-me outras tantas. O amargo que em muitos momentos traguei, não existe.
Rasquei cartas e fotografias. Queimei tudo o que algum dia partilhei contigo. A tua presença em mim, foi minimizada. Nada estimei ou lamentei.
Com os erros, dizem, devemos aprender. Mas há erros que preferimos decorar para nunca mais lembrar.
E hoje, apareceste. Com um ar superior, de quem a vida levou a melhor. De certo contemplaste, estampado no meu rosto a indiferença e o desapego. Não invejo quem te acompanha nessa caminhada.
Enraiveço-me comigo própria por não conseguir conter a inquietude. Não por amor, acredita. Mas por ver a capacidade que afinal tens de trazer à minha pele, sentimentos que tentamos suprimir, de tão revoltosos e tão desumanos que são.
E ousas olhar-me. E ousas sorrir-me. Como te atreves, vil criatura?
A tua presença atroz, passa. Deixas um rasto. Pouco a pouco, minuto a minuto desvanece.
E eu, renasço novamente. Recolho as garras e recomponho as defesas.
Respiro fundo e aguardo o próximo confronto.

11 comentários:

vício disse...

falaste em indiferença?
ah sim... no rosto...

najla disse...

Sim, no rosto. E irrito-me por isso mesmo!

kris disse...

najla

cada vez vais ficar mais forte. não podes deixar que te perturbe..

M disse...

O próximo confronto? Naaaa Não há-de acontecer, por falta de motivo... ;)

najla disse...

Kris, julgo-me forte! Mas que perturba....

bjos

najla disse...

M, acho que isso nunca foi problema. Se não existe, inventa!

bjos

PAULO LONTRO disse...

Infelizmente há coisas que mesmo se mortas não deixam de aparecer de vez em quando.
Só nos resta aprender a viver com isso e evitar os danos.

Espelho meu disse...

"Enraiveço-me comigo própria por não conseguir conter a inquietude. Não por amor, acredita..."

Amiga, texto fantástico, frase perfeita...

Conseguiste de tão simples maneira dizer o que eu ainda não tinha conseguido expressar em palavras, por uma pessoa que também me deixa assim...

Como te compreendo...mas espero sinceramente que o tempo apazigue o confronto, não com eles mas com nós mesmas... :)

Beijoca*

najla disse...

Paulo, pois...aprender...

Espelho Meu, há sentimentos negativos, por vezes, fortes demais que são tão dificeis de esconder....

beijos

Pax Diem disse...

O que não nos mata faz nos mais fortes. Atravessa o deserto e econtra o oásis.

Morgaine disse...

O post é simplesmente delicioso...
E sim, essa náusea incontrolável acaba por passar... nem sempre totalmente e nunca à velocidade que gostaríamos... mas vai passando

Beijo