quinta-feira, 28 de maio de 2009

A cantiga do bandido


Não suporto a ladainha das pessoas que foram traídas pelo namorado, cônjuge, marido, parceiro, azémula, amante, amigo colorido, piolho pegadiço, sanguessuga, mamarracho, e-outros-tantos, e que fazem disso tema de conversa de dias, semanas, meses e anos. Se quiserem chorar no meu ombro as lágrimas (encornadas) do desgosto, pois contem comigo.
Mas depois passou! A vida segue e para quê remexer na m*****????

E no final até vêm com a história do bandido para cima de mim "ah e tal, tu passaste pelo mesmo, sabes o que estou a sofrer!"....

Infelizmente sei! Mas ninguém me viu nessas figuras tristes do "ai coitadinha de mim".
Durante a minha vida de adolescente-adulta tive 3 namorados (oficiais, claro). E a minha "sina" tem sido quase sempre a mesma.
O meu primeiro namorado, o J., ao fim de 4 anos, traiu-me com a minha prima!!!!
Se sofri? Muito.
O segundo namorado, o P., que chegámos a falar em casamento após 6 anos de namoro, traiu-me com uma menina airada.
Se sofri? Sim.
Com o terceiro namorado, (outro) P., cheguei a casar. E após ter descoberto ao fim de 4 anos de casamento, que a "chama havia terminado", ao fim de 1 mês de divórcio, soube que ele ia ser pai.
Se sofri? Hum.......

Apesar dos estragos que as traições nos podem fazer, o maior estrago fazemos nós a nós próprios ao deixarmo-nos corroer pela vergonha, pelo despeito, pela humilhação, pelo ciúme, pela dor, pela solidão.
Apesar de sermos traídos, relações atrás de relações, não devemos perder a esperança de encontrar quem um dia nos poderá dar todo o amor que sempre pedimos, mas que fora tantas vezes roubado ou dado a outra pessoa.

Hoje, ao ter a meu lado o P. (sim....outro!!!!), com quem casei, é fácil esquecer-me do que é feita a traição! Esqueço todos aqueles sentimentos que durante muito tempo assombraram a minha vida. E mesmo assim nunca deixei de a viver intensamente, de amar intensamente. E porque simplesmente, a vida é feita de episódios, de novas personagens (diferentes umas das outras), de risco e acima de tudo, confiança, auto-estima e amor próprio!

Por isso, uma recomendação, amem muito! E se a traição vos bater à porta, olhem-na de soslaio e continuem em frente!

21 comentários:

Pi disse...

É mesmo isso!
Life goes on....não há cá tempo para choradinhos

Um bj!

vício disse...

no teu primeiro casamento, a chama acabou porquê? faltou o gás a alguém?

Gostei dos termos que usaste ao inicio mas tive que ir ao dicionário :P

pensamentosametro disse...

Nem mais, nada de choraminguices, o número do coitadinho só te vai sofrer a ti e cansar quem te rodeia, por vezes temos azar e demoramos a acertar mas nem sempre o diabo está atras da porta e tu sabes bem disso.

Felicidades.


Bjo


Tita

najla disse...

Pi, nem mais! A vida é demasiado curta para andarmos constantemente em lamentos...


Vício, o gás felizmente acabou...a mim!!!! eheheheh


Tita, sei bem. Às vezes temos de cansar o diabo!!!!

beijos

Morgaine disse...

Resumo da história... Há sempre outro P. à espreita... Resta-nos encontrar o P. certo... :)

Beijo

vício disse...

ok! se tivesse sido a ele posso dizer-te que quando entrei no teu blog e olhei para a imagem, a primeira coisa que me pareceu ver foi "HÁ VIAGRA"

najla disse...

Morgaine, mesmo! Hajam muitos P's nesta vida...eheheh

najla disse...

Vício, eu acho que não deves ter encontrado mesmo no dicionário o significado daquelas palavras. Um coração com falta de viagra?!?...Às vezes...eu já não digo nada!!! eheheheh

Ana Oliveira disse...

Tens razao!
Mas acho que primeiro ha que olha-la de frente para que saiba que foi vista, depois de soslaio para sentir o desprezo e por fim nao olhar de todo para perceber a insignificancia em que se tornou!

Beijos

Ana

najla disse...

Ana, gostei do que escreveste! Nem mais!

beijos

TM disse...

Um dos homens que mais amei na vida num determinado momento virou-se para mim e disse que achava melhor sermos apenas amigos porque na opinião dele as relações à distância não funcionavam... E eu... o que foi que eu respondi... Que se ele achava melhor terminar que assim fosse....
Se foi difícil... claro que sim... mas não tenho vocação para andar a humilhar-me por alguém que não me merece....
E porque não fiquei a lamentar-me do passado hoje tenho a sorte de ter ao meu lado alguém que amo e que sinto que me ama...
Porque esta coisa da felicidade é muito mais gira de se viver que as misérias...

Denise disse...

Minha mãe sábia que era cantarolava assim:
Chorei não procurei esconder todos viram,pena de mim não precisava aquilo que eu chorei qualqur um chorava.Dar a volta por cima q eu dei quero ver quem dava.

Então a questão é: levantar e sacudir a poeira e dar a volta por cima.

beijo

De

PAULO LONTRO disse...

Gostei deste post...
kiss
:)

najla disse...

TM, já somos duas! Nem suporto sequer a ideia do termo pena, quanto mais senti-la por alguém...


Denise, exacto! Dar a volta por nós e pelos outros, que pacientemente nos acompanham...

beijos

najla disse...

Paulo, ;)...

Walter Fane disse...

És uma Mulher com H grande ;-)

Bjoooooooooooos

spritof disse...

bem... que desabafo!

Concordo contigo.
Desanima-se uma vez, dá-se um berro... parte-se qq coisa e depois segue-se em frente!


:)

Nagareboshi disse...

é verdade...a vida continua para a maioria das pessoas. eu gosto de aprender com os erros dos outros, e há uns meses aprendi que por mais que amemos um homem devemos sempre tomar conta dos nossos interesses e dos interesses dos nossos filhos, se os tivermos, para o caso de acontecer uma separação, mas é o mundo em que vivemos e jogamos com as cartas que temos na mão...
a minha tia viveu cerca de 30 anos com o mesmo homem, há pouco tempo deixou de trabalhar porque ele lhe pediu e tem uma doença incurável, há uns meses descobriu que ele a traia, ele disse-lhe que a culpa era dela, agrediu-a física e psicologicamente e agora ela esta como uma mão á frente outra a traz e com a idade que tem, com a doença que tem e com netos tem de começar tudo de novo, essa para mim foi uma grande lição! não foi a única mulher na minha família a sofrer assim foi apenas a mais recente...ás vezes perco um bocado a fé no amor na dedicação e na confiança mas ainda espero perder-me de amores e ter mais sorte que as mulheres da minha família.

kris disse...

Fantástico texto.
concordo contigo, traída que eu saiba, só fui uma vez..e por um gajo..mas não foi por isso que perdi a fé no mundo, nos homens ou nas mulheres.
a vida dá a conhecer um lado mau...mas depois dá-nos tantas alegrias e pessoas novas.o que passou, passou, e porque um foi assim, não significa que será sempre da mesma forma.

beijo e vive intensamente

najla disse...

Walter, será?

Spritof, foi não foi?!? Às vezes temos de desabafar....


Nagareboshi, nunca acreditei nas más sortes familiares. Esse tipo de pensamento nunca ajuda muito...por isso, tenta eliminá-lo e nunca te encaixares nesse perfil! Boa sorte!

Kris, nem mais! Há que saber aprender com aquilo que a vida nos dá! E cabe a cada um de nós tirar o melhor partido dela...


Beijos

Dry-Martini disse...

Concordo plenamente e fiquei fã do piolho pegadiço :)

XinXin