sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Quantas mais?


Quantas vezes tentei mudar este olhar, esta paixão, esta entrega?
Quantas vezes jurei não mais mendigar o teu amor, a tua atenção, o teu carinho?
Quantas vezes achei que seria a última vez que chorava?
Quantas vezes sonhei que tudo poderia ser perfeito?
Quantas vezes notei que o brilho do teu olhar não era mais meu, que o sorriso deixara de existir, que o abraço escasseou?
Quantas vezes gritei para mim mesma que seria a última vez, que amanhã tudo seria diferente, que tu mudarias, que seria uma fase?
Quantas vezes enganei a razão, o orgulho, a vontade e a mim mesma?
Quantas vezes tentei mas nem lutei....quantas vezes desculpei o imperdoável?
Quantas vezes a lágrima ocupou o sorriso, e a força ocupou a generosidade?
Quantas vezes mais?
BASTA!!!!
Basta por mim! Basta por todas nós!

7 comentários:

Nikky disse...

Este para mim é difícil de comentar... E será talvez o teu post acerca do qual mais coisas teria a dizer. Se calhar é mesmo por isso que é difícil...
Tu sabes o que penso...

PAULO LONTRO disse...

Najla, eu diria basta por TODOS nós! (TODAS, é redutor...)
Um beijo para ti.

Ana Oliveira disse...

Mesmo quando gritamos "BASTA" sabemos, a maior parte das vezes, que o vamos repetir cada vez mais baixinho até que não se ouça...
Até ao próximo "BASTA"

Eumesma disse...

Passei,(vinda da "Noiva Judia") e identifiquei-me...

O "Basta" vai ser mesmo literal, quando a razão, se sobreposer ao coração. Até esse dia, vamos deixar que o vicio de gostar nos leve sempre pelo pior caminho...

najla disse...

Nikky, sei bem...

Paulo, escrevi o texto enquanto mulher! Logo teria de falar por mim, por nós! Claro que sei que a violência doméstica não abrage só a mulher. Também sei que a violência doméstica contra homens está a aumentar...mas ainda é silênciosa! E contra crianças...nem consigo sequer imaginar!!!
Mas a minha visão não é redutora! Até é muito abrangente! Abrangente demais.....

Eumesma, bem vinda! Este texto surgiu de outro contexto. Estava a escrever um poema de amor. Acreditas? Mas depois transformei-o num "grito". Felizmente, não por mim, mas infelizmente por muita gente! E como tens razão! Era tão bom que eu te dissesse o contrário!
Beijos

PAULO LONTRO disse...

Curioso Najla, não foi nesse sentido que eu escrevi o comentário.

A linguagem presta-se de facto a vários sentidos.

O que eu queria dizer com o “Todos” era exactamente que também me incomoda a violência dos homens sobre as mulheres, “Todos” no sentido de que também incomoda aos homens a situação e não só a “Todas” as mulheres, daí o redutor, entendes?

Mas não deixas de ter razão, apesar de eu não ter pensado nisso, a violência contra os homens também existe e se calhar com formas ainda mais várias.

nagareboshi disse...

Às vezes acho incrível como é que uma coisa tão má tem tanto poder sobre as pessoas...tem tanto poder que as vitimas podem passar anos mais preocupadas em como esconder os sinais de agressão do que em como denunciar o atacante...