quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Anjo Homem


Mãos que me levam
Na suavidade dos teus tons
Bálsamo a transbordar em sussurros
Afagando-me em pétalas de beijos

Com as liras do teu coração, veste-me
Anjo, volteando-me em notas de carícias
Murmura-me teus alentos em acordes
Na partitura sonolenta dos meus olhos

Teu corpo me enlaça, em rodopios suaves
Passos que me levam em delírio ao éter
Cósmico bailado, em ritmos celestes
Alçam em rufos esperanças azuis

Esculpes em meus surdos ouvidos
Escalas musicais, gorjeios cintilantes
Mostra-me os salões da vida, ribalta
Onde minhas pernas trôpegas vacilam

Acordas meus pensamentos torpes
Envoltos em vinhedos nebulosos
Anestésicas trilhas, embriagadas paixões
Onde deitei distraidamente meu coração...

(autor desconhecido)

2 comentários:

Osga disse...

Chamaram-me??!

:X

nagareboshi disse...

é bonito! gostei...ao rapaz só lhe dizia: doeu quando caíste do céu?