quarta-feira, 15 de abril de 2009

Sem compreensão


Este aperto
Esta dor
Que desalento
Que tortura
Queima. Incendeia
Amor? Paixão?
Não! Vida Infame
Dor, tormenta
Aperto. Respiro
Desejo contido
Tempo inimigo
Dia, noite. Indiferença
Paz, espírito
Morte, leviandade
Pudesse refazer
Endireitar. Levantar
Chão. Pedras
Caminho torto
Dor que permanece
Aperto que sufoca
Este aperto
Esta dor.

9 comentários:

kris disse...

Superar uma dor nunca é fácil...se é que algum dia a conseguimos vencer. Mas há que ter esperança.
Importante é o desabafo..deitar tudo para fora, parecendo que não...sempre há uma sensção, que apesar de ser momentânea nos dá alento

beijo

Tatiana disse...

Tenho passado por blogs e em muitos pude sentir essa mesma dor no peito que arde e não passa.
Parece que estamos nos dando conta de que aqui nesse mundo virtual que nos aproxima de tantas pessoas, nos faz por alguns momentos nos sentir tão só...pois só palavras muitas vezes não basta...
Queremos e precisamos de um acolhimento que nos faça sentir vivos.
Desculpa...se não é nada disso...e eu fiquei aqui divagando.

Deixo meu carinho que apesar de virtual é real em meu coração.

vício disse...

não compreendi!

Espelho meu disse...

Forte poema...verdadeiro e sentido.

Subscrevo-o pois sinto agora algo semelhante a "esse aperto...essa dor..."

Como estão os teus "doentinhos" miga? :)

Beijos*

Osga disse...

Gostei das palavras.

spritof disse...

que se passa?




gostei de ler, mas é tão....
...pesado!

Ana Oliveira disse...

Najla

Tantas palavras...tantos sentidos...

Deixo-te duas, repito-te e desejo-te - Chao e Paz!

Bom fim de semana

Beijos

Ana

Lança disse...

Tens o troco lá no meu canto! :)

Osga disse...

Onde andas mulher?!