segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Luz


Nos dias onde o cenário tem tons cinza,

E o horizonte não se perde,

Onde o nevoeiro não passa,

E as folhas caem ao contrário,

Onde os pássaros não voam,

E as pedras levitam,

Onde as pessoas não sentem,


Aparece sempre uma luz, mesmo que ténue, mesmo que frágil, para nos lembrar que há sempre esperança e que o mundo, afinal, não está assim tão ao contrário.

9 comentários:

vício disse...

e uma luz ao fundo do tunel pode ser um comboio em sentido contrário...

najla disse...

Vicio, pode! Mas eu não escrevi "túnel" por esse motivo...já chega com o "encarrilhamento" da vida...quanto mais levar com um combóio.

Dry-Martini disse...

E quando somos nós que estamos ao contrário do mundo? Tens algum candeiro interior que nos possas disponibilizar? :)

XinXin

najla disse...

Dry-martini, esse candeeiro cada um tem-no. Por vezes a luz pode estar baixinha...mas está lá!
E porque temos de ser nós que estamos ao contrário do mundo e não ele ao contrário de nós?
Beijo

poeta_poente disse...

E nesse momento devemos sorrir, aproveitar e pegar nessa energia que parece tão pequena, mas que nos faz aguentar mais alguns dias...

Nelson A. Soares disse...

Muito bem. Adorei. E espero que essa mesma luz raie sempre no meu caminho e no daqueles com que me cruzo prazerosamente. Ainda bem que não foste excepção.. =)



Stay Well

Me Hate disse...

Não te chateis muito com isso... aqui tenho uma chefe que se esqueceu que o puto já teve varicela... 2 vezes!!!!!!

Cleber disse...

Muito bom esse texto! Encaixou perfeitamente no meu dia!

najla disse...

Cleber...bem vindo!