sexta-feira, 10 de dezembro de 2010


Se eu disser que ao fazer mais um ano me tornei uma verdadeira senhora, pois estaria a mentir. Tenho um amigo de longa data (que julgo que é o único que me conhece verdadeiramente sem precisar abrir a boca), que acha estranho o percurso de vida que decidi tomar. Espanta-se como é que troquei o sapato fino das danças pela bota grosseira para andar no campo. Não consegue perceber como é que deixei o glamour dos salões de baile, dos aplausos e da noite, pelo serão em família, pela companhia do meu amor, enroscada numa manta à lareira e de brincar ao faz-de-conta com a minha filha. Não acredita que tenha trocado a cidade onde tudo estava ali, pela mansidão do campo e onde tudo ficam muito mais que além. E eu rio-me e digo-lhe vezes sem conta que não me interessa a maior parte das coisas se estas não me fizerem feliz. E ele torna a não compreender. Pergunta-me o que eu fiz ao sonho de conhecer o mundo, de conhecer muitas pessoas e de frequentar os sítios mais badalados do mundo. E torno a explicar que nada disso tem significado se não tiver sentido e encaixe na minha vida. E de que me vale um mundo inteiro se eu adoro o meu pequeno mundo?!? E sem se conformar, estranha que tenha desaparecido a minha fúria de viver, e tenha sido substituída pela minha calmia e tranquilidade. O meu passo tornou-se mais vagaroso, mais firme e muito, muito feliz....E ele não compreende!

6 comentários:

mundoameuspés disse...

Bom eu compreendo-te :)

Um bjinho e parabéns atrasados :s

Tinha te dado os parabéns mas não apareceu o meu comentario :s

najla disse...

Obrigada. Mas o problema foi mesmo do meu blog.

E é tão bom quando nos compreendem....:)

Vício disse...

não há problema em não compreender desde que não te tente mudar de rumo quando tu te sentes bem...

NI disse...

Conforme o Vicio referiu, o importante é que tu te sintas bem com a escolha que fizeste.

Também fiz uma opção semelhante há alguns anos atrás mas por motivos diferentes daqueles que apresentas. Apesar de não me arrepender porque se tratou de uma opção consciente (e hoje tomava a mesma decisão), a verdade é que me "falta qualquer coisa". Por isso é que é importante que te sintas bem.

Beijo

A. disse...

Parabéns =)

Paula NoGuerra disse...

Pode-lhe fazer confusão mas acredita que ele até compreende... porque te conhece! (no fundo)
Eu adorava fazer isso... trocar a cidade pelo campo... estou nessa luta! Quem sabe um dia!
Boa lindinha****