quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Dúvidas...


Onde está o sorriso tentador, que me arrebatou? Onde pára a tua presença, dando lugar a uma ausência tão pesada? Que fizeste ao amor, que juraste, um dia, ser eterno? Para onde mandaste as promessas e as juras, que foram, tantas vezes, cúmplices da nossa entrega? Em que braços te perdeste, sendo os teus durante tantos dias, o meu embalo, o meu abraço? Qual o corpo que agora sacias, deixando as marcas do prazer e da loucura? Porque deixaste, simplesmente, de me amar?

7 comentários:

Valéria Gomes disse...

As dúvidas são o que nos deixam doloridas manchas na alma.São o que nos remete ao sombrio vale da amargura.São o que nos torna frios e defensivos quanto ao amor.Eu não tenho dúvidas quanto a dúvida.

Preciosas palavras!!!
És maravilhosa, sem dúvida.

Miss Complicações disse...

Sempre soube que nada é eterno, nem o amor.
"Porque deixaste, simplesmente, de me amar?"
Se te tivesse de responder dir-te-ia que neste mundo podemos ser tudo, menos deixar de ser humanos. Seria bem mais fácil se podessemos programar a cabeça e o coração. Também deixe de amar passados muitos anos e perante uma resposta concreta, apenas tive esta justificação.

é lixado ;( mas acontece... infelizmente

Vício disse...

são lindas as juras, não são?
há sempre alguém que não pensa no dia seguinte...

Rui da Bica disse...

Ó Najla.
Os homens mentiriam muito menos se as mulheres não fossem tão curiosas e perguntassem demais.
Por que é que elas fazem tantas perguntas ?...
rsrsrsrs
.

Paula disse...

Realmente nada é eterno, nem mesmo NÒS...
É uma realidade dolorosa que aprendemos com o caminhar da nossa vida. Mas vamos amar todos os momentos bons que a vida nós dá, em vez de nos agarrarmos a "promesas", pois essas leva-as o vento...

Beijocas doces***

Anónimo disse...

Quem é que se atreveu a deixar de te amar!!!??? hum hum?

PQI

O Meu Pau de Canela disse...

Força.

Bjinhos